Os grupos-alvo serão:

  1. potenciais interessados (na área), políticos e decisores em cada país: instituições / organizações / empresas / pequenas e médias empresas / autoridades públicas locais (autarquias)/ representantes do Ministério da Educação líderes sindicais / escolas / creches / indústria hoteleira.
  2. formadores do ensino profissional, professores, mentores, estudantes universitários de cursos na área educativa, escolas, associações de professores, centros de formação profissional.

Os reais beneficiários serão os estudantes do ensino profissional e a longo termo, aqueles que irão optar por esse tipo de formação e que agora estão no 2º/3º e 1º ciclo.

Este projeto sensibilizará para a questão da igualdade de oportunidades especialmente na Educação e Formação Profissionais e irá promover a educação para o empreendedorismo como solução para diminuir o intervalo/ as diferenças na taxa de emprego entre os géneros. Para alcançar o objetivo da Europa 2020 de 75% de taxa de empregabilidade, ter-se-á que dar particular atenção à proporção de mulher empreendedoras, 33% (30% em start-ups), o que está aquém daquilo que será considerado razoável juntando ao facto de as mulheres ainda não consideram o empreendedorismo como opção de carreira relevantes. As mulheres jovens deveriam também beneficiar de uma ênfase crescente no empreendedorismo como uma competência básica que as escolas deveriam ensinar aos seus alunos, raparigas e rapazes.

O desenvolvimento de mentalidades empreendedoras está a expandir-se nas políticas ao longo de toda a Europa. É esta nova abordagem que o projeto pretende experimentar nas entidades parceiras, instituições e escolas.